Notícias

Prefeito e vice de Birigui são cassados pela Justiça Eleitoral

O TRE-SP manteve a cassação do prefeito Pedro Barnabé e de seu vice, Carlos Vendrame, pela prática ilícita de compra de votos

Os pedetistas Pedro Felício Estrada Barnabé e Antônio Carlos Vendrame, sucessivamente, prefeito e vice, eleitos com 50,42% dos votos válidos no município paulista de Birigui – 507 quilômetros da capital – tiveram o diploma cassado em fevereiro deste ano pela Justiça de Birigui por suspeitas de integrar um esquema de compra de votos no pleito eleitoral de 2012. A denúncia foi feita pelo candidato derrotado, o deputado estadual Roque Barbiere, do PTB de São Paulo.

O prefeito Pedro Bernabé e seu vice Carlos Vendrame estão no poder por meio de liminar e na sessão do Tribunal Regional Eleitoral – TRE/SP – do último dia 23 de julho (terça-feira), acolhendo a manifestação da procuradoria Regional Eleitoral – PRE/SP, os juízes, por maioria de votos, mantiveram suas cassações por prática de captação ilícita de sufrágio, ou compra de votos, como é conhecido popularmente. Com a decisão do TRE/SP de manter a cassação, os pedetistas podem perder seus mandatos, porém, ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Entenda o caso

Está no processo de cassação que o esquema ilícito, articulado por um dos coordenadores, se deu com o pagamento de R$ 50 e R$ 70 para que eleitores votassem em Barnabé, que alegou em seu recurso não ter conhecimento da parte administrativa de sua campanha. Porém, a Corte paulista entende que o então candidato a prefeito foi conivente com o esquema, já que os articuladores eram pessoas politicamente ligadas a ele, entendendo, inclusive, que não havia distanciamento de Barnabé e seu coordenador de campanha envolvido no caso, alegando que ambos se encontravam diariamente.

Osvaldenir Stocker