Delegada RaquelNotícias

Delegada Raquel concede entrevistas ao programa Alesp em Pauta e redes de TV

CNN – SÁBADO; GLOBO – SEGUNDA.

Na edição dessa quinta-feira, 7/12, o programa da Assembleia Legislativa de SP entrevistou a diretora da Associação dos Delegados de Polícia do Brasil (ADEPOL), Delegada Raquel Gallinatti, suplente de deputada pelo PL-SP, e o presidente da entidade classista, Rodolfo Laterza.  Nesse sábado, 9/12, às 15h, Delegada Raquel vai falar sobre os Justiceiros de Copacabana em entrevista à CNN. Na segunda-feira, 11/12, às 11h45, na TV Rio Sul – afiliada da Rede Globo, o bate-papo será sobre a violência contra mulheres, pessoas LGBTQIA+ e indígenas.

 Confira a matéria na íntegra*

A diretora da Associação dos Delegados de Polícia do Brasil (ADEPOL), Delegada Raquel Gallinatti, suplente de deputada pelo PL-SP, segue sua caminhada em defesa de pautas representativas da categoria dos delegados de polícia, e de outras bandeiras levantadas ao longo das suas atuações classistas e também de sua candidatura a deputada estadual pelo PL, nas eleições de 2022.

Uma das personalidades mais entrevistadas no estado de São Paulo e no Brasil, quando as pautas são: segurança pública; polícias; drogas; tráfico; violência contra a mulher; empoderamento da mulher; a política de direita; entre outras, é a Delegada Raquel Gallinatti, que traz na sua bagagem conhecimento legal, experiência e estudo contínuo, para debater, defender e propor políticas públicas para esses temas.

Nessa quinta-feira, dia 7 de dezembro, Delegada Raquel foi a convidada do programa Alesp em Pauta, que ao lado do presidente da ADEPOL do Brasil, Rodolfo Laterza, tratou sobre a importância da Associação dos Delegados de Polícia do Brasil na política de Segurança Pública nos estados, em bate-papo com o apresentador Arthur Neves.

“Como presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo por dois mandatos, sempre vi a importância de termos uma entidade de Delegados de Polícia de âmbito nacional, com interlocução no Congresso Nacional. E há mais de 30 anos a nossa ADEPOL tem esse papel, estando hoje entre as dez entidades associativas mais influentes no Congresso Nacional, segundo Ranking do Congresso em Foco”, destacou Delegada Raquel ao concluir:

“Para que a gente preserve, para que a gente proteja, e principalmente, para que a gente fortaleça as prerrogativas, não só do delegado de polícia, mas da polícia judiciária como um todo, é necessária a construção de consensos. Basicamente, esse é o nosso papel diuturnamente no Congresso Nacional, seja na Câmara dos Deputados ou no Senado Federal, e claro, com reflexos imediatos nos estados. Uma lei robusta, de repercussão federal, traz reflexos imediatos nas assembleias legislativas, tendo como parâmetro norteador uma lei de âmbito federal”, explicou Raquel Gallinatti.

“A Adepol do Brasil participou, por exemplo, da elaboração e discussão da Lei do Susp, que instituiu o Sistema Único de Segurança Pública, participou de 27 reformulações da Lei Maria da Penha, trabalhou na Lei de Drogas”, descreveu, entre outros exemplos, o presidente da ADEPOL DO BRASIL, Rodolfo Laterza.

CLIQUE AQUI para assistir a entrevista na íntegra

 

     

 

*Com informações captadas da entrevista concedida ao programa Alesp em Pauta da TV Alesp, no dia 7 de dezembro de 2023.