ArtigosCoronel TadeuNotícias

Bolsonaro vira herói e o maior cabo eleitoral da política brasileira

INJUSTIÇAR UM É AMEAÇAR A TODOS!

Por Coronel Tadeu *                                     

Começo este artigo fazendo uma reflexão: Que crime o presidente da República Jair Bolsonaro cometeu para sofrer a derrota por cinco votos contrários e dois a favor, no Tribunal Superior Eleitoral, e tornar-se inelegível pelo período de oito anos?

Escutei atentamente os votos dos cinco ministros do TSE que votaram contrário na sessão do dia 30 de junho de 2023, e não vejo nexo causal entre a eleição e o que aconteceu no dia 18 de julho de 2022, quando o presidente Bolsonaro realizou uma agenda com embaixadores, completamente fora do período eleitoral, e falou sobre o processo eleitoral brasileiro.

Respeito muito os dois votos que foram dados a favor do presidente Bolsonaro. Mas não consigo fazer a mesma interpretação dos cinco ministros do TSE, que tornaram o presidente Bolsonaro inelegível até 2030. Segundo eles, foi um atentado contra a democracia. Então me permita a interrogativa: onde fica a liberdade de expressão?

Na verdade, essa história começou há dez anos, precisamente no dia 11 de junho de 2013, que culminou numa grande manifestação no dia 13 de junho de 2013, e a partir daí o povo brasileiro aprendeu a ir às ruas e protestar contra aquilo que ele se indignava: a corrupção!

E foi assim, estando nas ruas, que o povo brasileiro escolheu, em 2018, uma pessoa para representa-lo: Jair Messias Bolsonaro, eleito presidente da República com 57 milhões de votos. Bolsonaro não foi um presidente que se postulou a ser presidente. Foi o povo que o escolheu para ser candidato e levar os nossos anseios ao posto mais alto da nação, e também aos outros dois poderes do país – o Legislativo e o Judiciário.

Injustiças à parte, a ideia é olhar para frente! A punição de hoje tornou o presidente Bolsonaro um herói da política brasileira. Seu nome está escrito em letras garrafais como um dos maiores políticos do país.

Você pode estar se perguntando: Como serão as eleições municipais de 2026? Será que a polarização acabou? Será que o Bolsonarismo acabou? Ledo engano! O bolsonarismo está mais aceso do que nunca.

O presidente Bolsonaro está vivo politicamente, e está ativo e assim permanecerá defendendo o povo brasileiro, como representante da boa política da direita. Não será um político de mandato, mas será uma figura política de extrema importância para o futuro da política brasileira. Ele não será o protagonista de um mandato, mas vai protagonizar muitas histórias pelo nosso país.

Respeitar as opiniões contrárias faz parte da democracia. Mas, lamentavelmente, o dia 30 de junho de 2023 ficará marcado na história política do nosso país, como o dia em que não respeitaram a democracia brasileira.

* Marcio Tadeu Anhaia de Lemos (Coronel Tadeu), ex-deputado federal pelo PL-SP, é bacharel em Direito; mestrado em Ciências da Segurança Pública; oficial da Polícia Militar do Estado de São Paulo (1982); diretor de Assuntos Institucionais da Associação dos Oficiais da Policia Militar (São Paulo, SP, de 2005 a 2008); comandante de Helicópteros – llíder Taxi Aéreo, (Macaé, RJ, 2012).