Notícias

Segurança de dados das eleições é prioridade da Justiça Eleitoral

 A URNA ELETRÔNICA É FRUTO DA DEDICAÇÃO TÉCNOLÓGICA, NÃO SÓ DA JUSTICA ELEITORAL:  INPE; EXÉRCITO, AERONÁUTICA (DCTA); MARINHA (CPQD) – TODOS CONTRIBUIRAM NO DESENVOLVIMENTO E NAS CONSTANTES ATUALIZAÇÕES DA URNA ELETRÔNICA. 

Garantir a segurança de dados relativos ao processo eleitoral é uma das prioridades da Justiça Eleitoral (JE). As principais informações sobre o tema podem ser consultadas no Portal da JE. No site, o cidadão descobre que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) utiliza os mais modernos artefatos em termos de Segurança da Informação para assegurar a integridade, a confiabilidade e a autenticidade das eleições brasileiras.

Desde 1996, quando foi utilizada pela primeira vez, a urna eletrônica vem incorporando novos aparatos de segurança, passando por inúmeras mudanças a fim de garantir aos brasileiros um processo de votação íntegro e confiável. Atualmente, a urna é um símbolo da democracia do país, e sua integridade é comprovada nos testes públicos de segurança e nos diversos mecanismos de auditoria e de verificação do sistema operacional.

O TSE ainda traz em seu Portal na internet diversas informações sobre o processo de segurança digital do sistema eletrônico de votação. Lá, o cidadão tem acesso a uma série de conteúdos, como o passo a passo da votação, mitos e verdades sobre a urna eletrônica, perguntas mais frequentes, esclarecimentos sobre notícias falsas e o histórico da evolução da urna eletrônica.

RESPALDO

Em entrevista à TV TSE, o intitulado “hacker ético” Gabriel Pato, de 29 anos – e que aos 8 anos fez sua primeira invasão em um sistema de informática de empresas –, destaca que aparelhos como a urna eletrônica dificilmente podem ser violados.

“Em um contexto de uma máquina 100% desconectada de qualquer tipo de rede, essa violação só poderia existir se um usuário colocasse um mecanismo, como um pendrive, por exemplo, que poderia infectar ou capturar algum tipo de informação. De outra forma é impossível”, afirma.

CONFIRA A REPORTAGEM DA TV/TSE.

A urna eletrônica é fruto da dedicação de profissionais altamente capacitados, não apenas da Justiça Eleitoral, mas também de outros órgãos do governo brasileiro, como o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Exército, a Aeronáutica (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial – DCTA), a Marinha e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), todos atentos aos aparatos de segurança em Tecnologia da Informação, que ajudaram no desenvolvimento e nas constantes atualizações da urna eletrônica.

INTERNET SEGURA

Além de preservar a segurança dos dados relativos ao processo eleitoral e do sistema eletrônico de votação, o TSE apoia as iniciativas que buscam garantir o uso correto da internet e a proteção dos dados pessoais, bem como promove ações para assegurar a divulgação de conteúdos verdadeiros e informativos.

ESTÍMULO AO USO DA INTERNET

No dia 9 de fevereiro, é celebrado o Dia da Internet Segura (Safer Internet Day), criado pela Rede Insafe, na Europa, e que reúne atualmente mais de 140 países para mobilizar usuários e instituições em torno da data e estimular um uso livre e seguro da web. O movimento conta com o apoio institucional do TSE.

A iniciativa anual tem o objetivo de envolver e unir as pessoas na promoção de atividades de conscientização em torno do uso seguro, ético e responsável da rede. (TP/LC)

 

_________________

FONTE:

Assessoria de Comunicação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

https://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2021