NotíciasPL Mulher SP

Secretaria da Mulher de Poá adere à campanha nacional ‘Sinal vermelho’

AJUDA SILENCIOSA ÀS MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA.
Com um “X” vermelho na palma da mão, feito com caneta ou mesmo um batom, a vítima sinaliza estar em situação de violência. Integração da campanha com farmácias do município contribuirá na identificação do sinal e socorro às vítimas.

A prefeitura de Poá, que tem a gestão do prefeito Gian Lopes, do Partido Liberal, através da Secretaria Municipal da Mulher aderiu à campanha nacional “Sinal Vermelho”, idealizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

O objetivo da campanha é permitir que mulheres vítimas de violência doméstica procurem ajuda em farmácias cadastradas, considerando que esses estabelecimentos, como serviços essenciais, estão mantendo-se abertos normalmente durante a pandemia, período em que as ocorrências estão aumentando.

ADESÃO E EMPATIA

De acordo com a secretária da Mulher de Poá, Jislene Barreto de Santana, a pasta já está articulando com as farmácias do município um trabalho integrado, no sentido de conquistar adesão à campanha, de todos os estabelecimentos. A secretária explica que os funcionários precisam compreender o sinal, serem discretos, e tomarem as providências necessárias para acionar a polícia ou outros órgãos de segurança.

“As mulheres vítimas de agressão agora podem buscar ajuda em farmácias. A campanha busca estimular denúncias de violência doméstica, que aumentaram durante o isolamento social. O sinal vermelho destaca para um basta, a comunicação entre a vítima e aquele que pode salvar a vida dela não precisa de palavras, nem expressões. O símbolo ‘X’ vermelho na palma da mão indica”, explica Jislene.

A CAMPANHA

O lançamento da campanha ‘Sinal Vermelho’ foi realizado pelo CNJ e AMB e em parceria com a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres. A ideia de uma campanha que priorizasse a denúncia silenciosa surgiu para ajudar justamente aquela mulher que está presa em casa e não tem como pedir socorro, seja porque o companheiro quebrou o celular dela, ou esconde seu telefone, ou até mesmo aquela que não consegue fazer a denúncia pela forma virtual.

GESTO SILENCIOSO DE AJUDA

Os casos de violência doméstica aumentaram durante o isolamento social e o objetivo da campanha é oferecer um canal silencioso, permitindo que as mulheres se identifiquem nesses locais, e a partir daí sejam ajudadas. É uma atitude relativamente simples, que exige dois gestos apenas: para a vítima apenas um X (com batom e ou caneta vermelha) e para a farmácia, uma ligação.
Mais informações sobre a campanha podem ser obtidas na Secretaria da Mulher de Poá (Rua Fernando Pinheiro Franco, 141 – Centro) ou pelo telefone: (11) 4639-2044.

____________

FONTE: Release da Prefeitura de Poá
FOTO: Divulgação/Departamento de Comunicação de Poá

Notas: O conteúdo dos artigos e matérias publicados no site e redes sociais do PL-SP, representa a palavra e o pensamento dos seus autores e fontes creditados, sendo de inteira responsabilidade os aspectos legais e jurídicos que possam estar interrelacionados com essas publicações. É permitida a reprodução total ou parcial, sem fins lucrativos, do conteúdo publicado no site e redes sociais do PL-SP, desde que citada a fonte e mantida a integridade das informações.